Bom dia a todos

Hoje fui entregar um folheto para um senhor e, como soletram as regras da boa maneira, encerrei a conversa com um “bom dia para o senhor”.  Esperava uma retribuição previsível, algo como: “igualmente” ou “obrigada, para você também” ou apenas um silêncio egoísta de “quem cala consente”. Nada disso veio.

 

Acho que o manual de boas maneiras dele deve ser de uma editora diferente da minha. Como troco da pergunta e despertador da minha estranheza, recebi um singular e socializante “para nós.”

 

Atrevido... dei liberdade para compartilhar do meu “bom dia”, mas não junto comigo!

Eureka!

 

Há 15 dias me descobri egoísta - que as mentes maldosas optem por não se metamorfosear em condenadoras, para que não acabem se tornando auto-constrangedoras.

 

Uma vez que me julgo um tipo de amostra grátis da espécie homo sapiens, é com consoladora tristeza que arrasto toda a raça humana para esse estado de moral fétida e purulenta no qual me encontro. Espero não ter causado nenhum constrangimento.

 

Há 15 dias - enquanto o mundo passava fome; o Papa tinha um ataque de Nero e resolvia incendiar não apenas Roma, mas todo o mundo religioso; e o Irã teimava em tentar incluir o urânio na elite burguesa da tabela periódica – minha única preocupação era descobrir quem seria o milésimo visitante do MEU blog.

 

Para conseguir tal feito homérico, uma vez que ninguém gosta de se expor de livre e espontânea vontade e muito menos o faria por amizade, resolvi dar uma caixa de Bis para o suposto felizardo, que só deveria ser descoberto depois desta postagem.

 

O corre que, para saber se já havia passado do milésimo visitante, elaborei uma inventiva estratégia. Perguntei a um amigo qual tinha sido o número dele – a grandeza da coincidência não permitiria que fosse ele o milésimo. Deixo a resposta como legado à imaginação de quem lê. Apenas digo o que ouvi: “ esqueci de tirar um print screen... mas é verdade”. Definitivamente, tem gente que não sabe brincar. Mas não culpo a ele e menos ainda a minha curiosidade. Externo meus mais profundos protestos àquele xereta do Murph.

 

Excetuando-se meu relógio que não imagino onde guardei, nem tudo está perdido. Para ganhar a caixa de Bis o tal milésimo visitante vai ter de se identificar deixando uma mensagem neste post. As pessoas provavelmente concluirão que um alguém dado a ler meu blog deve também ter perdido muito tempo assistindo o Ratinho ou o Beija Sapo da MTV, mas esse é o preço a se pagar pelo Bis.

 

Aproveito para estender minha generosidade ao milésimo primeiro visitante. Ele também ganhará uma caixa de Bis. Basta se identificar e levar para o resto da vida o fardo da futilidade que lhe será atribuída.

 

[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]
Visitante número: